Dr. Edson Meneses Especialidades Clínicas

Dr. Edson Meneses Especialidades Clínicas

Este Espaço pode ser seu, Anuncie aqui. Tel. 9 9886-8832

Este Espaço pode ser seu, Anuncie aqui. Tel. 9 9886-8832

sábado, 27 de maio de 2017

Adolescentes do Case Timbaúba participam de curso de Artesanato em Barro

·   0

Adolescentes do Centro de Atendimento Socioeducativo (Case) Timbaúba participaram do curso de artesanato em barro oferecido pela Funase, por meio de parceria firmada com o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural em Pernambuco (Senar-PE). Durante os cinco dias de aula, os jovens aprenderam todo o processo de confecção de uma peça artesanal feita de barro, começando pelo preparo da argila, passando pela secagem, acabamento das peças, que segue com o lixamento, pintura, finalizando com a queima dos produtos em um forno construído pelos próprios alunos.
Os adolescentes confeccionaram objetos decorativos como pássaros, bumba meu boi, travessas e placas. Segundo o Mestre Zuza de Tracunhaém, instrutor que realizou todo o trabalho com os internos, a manipulação da argila desenvolve a coordenação motora e é terapêutica, podendo ainda se tornar uma profissão, um caminho de mudança de vida para os adolescentes. “Durante as aulas trabalhamos toda a técnica manual, com foco também na parte decorativa da peça. Os meninos estiveram sempre muito interessados, principalmente quando viram que era algo fácil de ser feito e que dependia apenas do interesse de cada um. Eles são inteligentes e capazes”, destacou Mestre Zuza.
O sucesso foi tão grande que dois jovens que participaram do curso profissionalizante foram eleitos pelo Mestre Zuza para serem multiplicadores dos conhecimentos adquiridos. “Vamos continuar esse trabalho na unidade. Os dois adolescentes vão repassar os conhecimentos aos demais. Com esse trabalho manual eles se expressam, repensam a vida. Passam a ver que tudo pode ser transformado quando eles pegam o que era apenas barro e transformam em obras de arte. Vêem que a reconstrução da vida também é possível”, compartilhou a coordenadora geral do Case Timbaúba, Karolyne Bezerra. Para arrecadar dinheiro para dar continuidade a esse trabalho, dois adolescentes estiveram na sede da instituição para vender as peças. Todos os itens foram vendidos.​


Comente com o Facebook: